Sistema de IA da Yamaha no Projeto Dear Glenn faz concerto no estilo do lendário pianista Glenn Gould no Ars Electronica Festival

Em 7 de setembro, a Yamaha Corporation lançou o primeiro sistema de piano*1 de Inteligência Artificial (AI) do mundo, capaz de tocar qualquer musical no estilo do falecido pianista Glenn Gould. O evento ocorreu no Ars Electronica Festival, um dos maiores festivais de artes midiáticas do mundo, realizado em Linz, na Áustria. O sistema de AI também se apresentou no festival, e a Yamaha agora anuncia o lançamento do vídeo da apresentação. O projeto também foi reconhecido como um dos vários eventos para comemorar os 150 anos de relações nipo-austríacas.

Filmagem do concerto (lançado hoje)

Documentário (lançado em 4 de setembro)

Confira também as informações sobre a tecnologia no site oficial abaixo.

Pontos principais

  1. A Yamaha desenvolve a primeira*1 AI no mundo que toca músicas no estilo do lendário pianista Glenn Gould.
  2. A filmagem do show mostra o sistema de IA executando músicas nunca tocadas por Gould e acompanhando artistas renomados da atualidade
  3. A discussão explorou as possibilidades de cocriação entre IA e humanos e como isso pode afetar as apresentações musicais no futuro

O sistema de IA consiste em uma pianola e o software de IA, que gera instantaneamente dados que incorporam o toque, o ritmo e outras características estilísticas próprias de Glenn Gould. Em seguida, esses dados são passados para a pianola. O diferencial desse sistema é ser a primeira aplicação no mundo*1 a usar o Deep Learning (aprendizagem profunda)*2 para tocar qualquer peça musical no estilo de Glenn Gould, desde que haja uma partitura disponível. A execução é impecável graças à tecnologia IA, que vem evoluindo rapidamente nos últimos anos.

O processo de aprendizagem de máquina consistiu na criação de dados com mais de 100 horas das gravações das execuções musicais de Gould, com o total apoio da Fundação Glenn Gould. Para elevar ainda mais a qualidade da reprodução, a Yamaha também usou IA para analisar dados humanos, tirados das apresentações do renomado pianista contemporâneo Francesco Tristano e de outros pianistas intimamente familiarizados com o estilo dele.

Além disso, o sistema inclui a tecnologia AI Music Ensemble original da Yamaha, que analisa a execução de outros pianistas humanos quase instantaneamente e toca preditivamente enquanto interage com músicos humanos. Mais do que uma simples execução automatizada, o sistema reproduz o toque magistral de Glenn Gould e oferece uma cocriação inspiradora e interativa entre uma IA pianista e músicos humanos.

O concerto foi realizado no mosteiro de St. Florian em 7 de setembro, terceiro dia do festival Ars Electronica. Além do solo de piano, o sistema de IA executou um dueto de piano com Francesco Tristano e um trio de sopro com membros da Bruckner Orchestra Linz (violino e flauta), uma apresentação "com artistas contemporâneos que transcendeu o espaço e o tempo". Nenhuma das músicas executadas foi incluída nos dados de aprendizagem da máquina; portanto, a plateia teve um grande interesse em saber como o sistema de IA reproduziria a musicalidade de Gould sem contar com nenhum dado de gravação, além de conferir se o sistema saberia cooperar e interagir musicalmente com humanos em conjunto.

Após a apresentação, uma sala lotada irrompeu em aplausos. O concerto foi um dos principais destaques do programa principal do evento, o "AI x Music Festival".

Glenn Gould também era conhecido pela devoção às gravações com mídias digitais e pelo interesse em repensar a relação entre artista e público. O nome do projeto, “Dear Glenn”, é uma homenagem à atitude do artista, que revelou as possibilidades de novas tecnologias e também inspirou a ideia por trás do projeto. A Yamaha está confiante de, com esse projeto, ter dado um passo para apresentar novas possibilidades de expressão musical via cocriação e inspiração mútua entre músicos humanos e a moderna tecnologia de IA.

A IA executou as magistrais Variações Goldberg de Bach (BWV 988) e algumas peças de Glenn Gould. Nenhuma das peças foi incluída nos dados de aprendizagem de máquina. A plateia ouviu atentamente para saber como o sistema reproduziria a musicalidade do artista.

Fotografia: yog.photo

O sistema também se apresentou com o renomado pianista contemporâneo Francesco Tristano e com membros do Bruckner Orchester Linz (violino e flauta), em uma apresentação que "transcendeu o espaço e o tempo".

Fotografia: yog.photo

Martin Honzik, diretor sênior do FESTIVAL/PRIX/EXPORT Ars Electronica

"A criação de uma ponte entre inteligência artificial e música não deve terminar como uma meta de competição ou para mostrar a façanha de duas formas diferentes de inteligência; ela deve ser o início de uma discussão que busca formas de aplicação para melhorarmos como seres humanos e para ampliar e aprimorar nossa virtuosidade. 'Dear Glenn', em suas diversas e maravilhosas manifestações, provou ser um exemplo adequado neste contexto e mais do que atendeu aos padrões de alta qualidade da Ars Electronica."

Brian M. Levine, diretor executivo da Fundação Glenn Gould

"Foi um prazer trabalhar com todos vocês neste grande projeto de pesquisa, que é uma homenagem tão apropriada ao espírito e ao legado de Glenn Gould. Sugiro que o projeto seja levado para o mainstream musical, no qual sei que despertará grande interesse e gerará muita atenção, além de um debate animado."

Francesco Tristano, pianista e compositor

"A fronteira entre música, pessoas, máquinas e algoritmos está se desfazendo, e 'todos somos parte disso'. Quero expressar minha mais profunda gratidão à Yamaha por confiar em mim e me permitir contribuir com a primeira IA que fornecerá a interpretação de um dos músicos mais visionários da história do piano: Glenn Gould. Este projeto significa tudo para mim."

Koichi Morita, gerente-geral sênior da Divisão de Pesquisa e Desenvolvimento da Yamaha Corporation

"Quero dar meus sinceros agradecimentos a todos que acreditaram e apoiaram este projeto. A evolução da tecnologia da informação no século 20 nos proporcionou uma revolução não apenas no hardware, mas também no software do piano, incluindo a tecnologia de IA. Acreditamos que essa IA expandirá os limites da criatividade musical do ponto de vista da sensibilidade humana, e isso é grande parte do que motiva nossas atividades de pesquisa. Ao compartilhar alguns dos nossos resultados em andamento com os entusiastas da música na Ars Electronica, sinto que demos mais um passo em direção à realização dessas novas possibilidades."

Nascido em 1932 em Toronto, no Canadá, Glenn Gould foi um lendário pianista que faleceu em 1982, aos 50 anos. Gould recebeu extraordinários elogios e é conhecido pelas magistrais execuções das músicas de JS Bach, começando com seu disco de estreia, Bach: As Variações Goldberg, lançado em 1956. Em 1964, Gould anunciou o fim da carreira nos concertos e se concentrou nas gravações, dedicando-se a lançamentos em mídias digitais. Gould também era conhecido pelos hábitos não convencionais e característicos na execução, que incluíam se sentar em uma cadeira baixa e se inclinar sobre o teclado do piano, bem como cantarolar enquanto tocava, mesmo durante as gravações. Em seus últimos anos, Gould gravou três discos, incluindo Bach: As Variações Goldberg, em um piano de concerto da Yamaha.

O Ars Electronica Festival é centrado nas últimas novidades na arte, tecnologia e ciência. É realizado pela Ars Electronica, instituto de pesquisa de arte em Mídias com sede em Linz, na Áustria. Realizado pela primeira vez em 1979, o festival se tornou um dos maiores eventos de arte midiática do mundo. Durante o festival, especialistas de todo o mundo se reúnem em exposições, apresentações, eventos e conferências internacionais, tudo nos arredores de Linz, além de participarem de discussões e criarem novas conexões.

A missão da Fundação Glenn Gould é honrar o espírito e o legado de Glenn Gould, enaltecendo o brilhantismo, promovendo a criatividade e transformando vidas pelo poder da música e das artes com as atividades exclusivas da Fundação, incluindo o Prêmio Glenn Gould.

Desde a sua fundação, em 1887, a Yamaha Corporation (com sede em Hamamatsu, no Japão) vem desenvolvendo atividades comerciais com foco em instrumentos musicais, produtos de áudio, escolas de música da Yamaha, semicondutores e outros produtos e serviços relacionados a som e música. Com expertise e sensibilidade especiais, obtidas na devoção ao som e à música, a Yamaha tem o compromisso em criar entusiasmo e inspiração cultural junto a pessoas de todo o mundo.

Notícias relacionadas

IA da Yamaha reproduz toque do mestre pianista Sviatoslav Richter e se apresenta com a Orquestra Filarmônica de Berlim

Inteligência Artificial da Yamaha transforma dançarino em pianista

Yamaha e HAKUHODO i-Studio expõem a instalação experimental de música em IA no SXSW

*1: Agosto de 2019; pesquisa interna da Yamaha Corporation.

*2: A aprendizagem profunda é um método de aprendizagem de máquina caracterizado pelo uso de modelos matemáticos em várias camadas, chamados redes neurais, para processar informações.